Dietas loucas - isso é que não!

"A Branca de Neve sugeriu uma dieta que a tinha ajudado a perder alguns quilos, 
à base de maçãs vermelhas.
A Bela Adormecida recomendou uma dieta do sono, 
que tinha feito maravilhas pela sua pele.
A Princesa Sereia aconselhou uma dieta à base de plâncton 
(coisa que a princesa nem sabia o que era, mas que depois de consultar alguns livros descobriu ser o alimento dos pequenos peixes). (...)"

in "História de uma princesa obesa e de um dragão que cuspia bolas de sabão"



De nada adianta seguir dietas loucas, se depois não houver uma reeducação alimentar e uma mudança no estilo de vida, nomeadamente na realização de alguns exercícios diários.
Além disso, estas alterações são cruciais para que, após o fim do tratamento, não se recupere com facilidade os antigos hábitos alimentares nem o peso perdido.

Lembre-se que neste tipo de dietas, o que mais se perde é massa muscular e água, ocorrendo pouca redução de gordura e por serem pobres em muitos nutrientes, os efeitos adversos mais comuns, a médio prazo, são: fraqueza, pele seca e baça, queda de cabelo, ansiedade, depressão, náuseas, vómitos, diarreia e obstipação. A longo prazo, podem provocar sérios riscos para a saúde.

Importa esclarecer que o que nos faz emagrecer é gastarmos mais calorias do que as que ingerimos.
Assim, apesar de encontrar muitas dietas e planos em livros, sites, etc, recorde que o acompanhamento por um profissional é fundamental para que a sua perda de peso seja feita de forma saudável. 



Dieta Mediterrânica e Roda dos alimentos - É um casamento possível?

É mais do que possível!!!! O casamento perfeito acabou de acontecer!!!

Acabadinha de lançar a nova Roda da Dieta Mediterrânica!

Inspire-se e adote este padrão alimentar tão característico do nosso país!


Destacamos as palavras do blog Nutrimento da DGS:
"É uma representação gráfica que assenta na Roda dos Alimentos Portuguesa; pretende-se dar ênfase às características do padrão alimentar mediterrânico (PAM), salientando não só a componente alimentar, mas também os elementos inerentes ao seu estilo de vida."

O que não deve fazer quando prepara um sumo natural!

Nesta altura de muito calor, os sumos naturais podem ser excelentes alternativas a outras bebidas açucaradas e sem interesse nutricional para hidratar miúdos e graúdos.

Image Credit: healthyfoodstyle


Contudo, existem três erros que não deve cometer ao prepará-los!

Não coe! Se o fizer estará a perder toda a fibra e muitas das vitaminas e minerais.

Não guarde no frigorífico! Com o passar do tempo as vitaminas e minerais vão-se perdendo.

Não adicione açúcar! Esta não preciso explicar, pois não? :)

Nunca é demais relembrar que de qualquer das formas a água é sempre a bebida de eleição! Lembre-se da Roda dos Alimentos e onde está posicionada a água: no CENTRO!





Bullying e obesidade - uma explosão em tempo real

"À semelhança das princesas de outras histórias, esta princesa vivia presa na torre mais alta do
castelo. Enfim, literalmente presa. Na verdade, ela era tão bela, quanto gorda.
Gorda não, que ninguém lhe chamava isso. Provavelmente porque não queriam magoá-la.
Sim, que as palavras às vezes magoam as pessoas. Mas dizia-se pelo castelo que ela era
fortezinha, redondinha, cheiinha, bochechudinha e outras coisas terminadas em ‘inha’
que, de uma forma mais educada, queriam dizer que ela tinha peso a mais."

in "História de uma princesa obesa e de um dragão que cuspia bolas de sabão"



Sabia que as crianças e adolescentes com excesso de peso e obesidade apresentam 60% mais hipóteses de sofrerem de bullying na escola? 

O bullying existe nas mais diversas idades e nos mais diferentes contextos. Infelizmente, as crianças com excesso de peso e obesidade não estão livres deste acontecimento e com frequência sofrem na pele este tipo de violência. Sim! É um tipo de violência!

São diversos os estudos que comprovam que a obesidade não tem só impacto na saúde, já que tem também a nível de interações sociais e bem estar emocional, nomeadamente na autoestima. Estas consequências podem ser quer a curto como a longo prazo, podendo, por isso, influenciar o futuro destas crianças. 

Atualmente sabe-se que uma criança com obesidade terá consequências psicológicas e sociais indesejáveis, já que experimentará relações menos positivas com os seus pares de peso normal, ou seja, com as crianças da mesma idade. 

Não deixe que isso aconteça! 

Por um lado, promova um estilo de vida saudável aos seus mais-que-tudo e por outro, esteja atento caso surjam alterações de comportamento (incluindo as compulsões alimentares) e de humor. 

Lembre-se que os jovens nem sempre têm capacidade para resolver o problema sozinhos nem coragem para procurar ajuda, quer seja dos pais, amigos ou dos professores.

As 10 regras da Dieta Mediterrânica

A Dieta Mediterrânica foi, em 2013, inscrita na lista do Património Imaterial da UNESCO.

É importante ressaltar que "o Mediterrâneo é um modo de ver, pensar e agir, um modelo de vida comunitária" e que "esta cozinha não é um regime alimentar, é um modo de vida".



1. Utilize confeções simples que protegem os nutrientes, como as sopas, os cozidos, os ensopados e as caldeiradas

2. Faça um elevado consumo de produtos vegetais em detrimento do consumo de alimentos de origem animal (lembre-se que mais de metade da Roda dos Alimentos é de origem vegetal)

3. Consuma com mais frequência pescado em vez de carnes vermelhas

4. Prefira pão e cereais pouco refinados, leguminosas secas e frescas, frutos secos e oleaginosos

5. Consuma produtos vegetais produzidos localmente, frescos e da época, como a fruta e os legumes

6. Opte sempre pelo azeite como principal fonte de gordura

7. Faça um consumo moderado de laticínios

8. Utilize ervas aromáticas para temperar em detrimento do sal (uma das minhas dicas preferidas :) )

9. Beba vinho de forma moderada e apenas nas refeições principais

10. A água deve ser a principal bebida ao longo do dia


Ah! E não esqueça, conviva à volta da mesa e não descure na atividade física!

Gordura: um dos quatro vilões

As gorduras não são todas iguais!

De uma forma simplista, podem classificar-se em:

“boas” – as insaturadas (mono e polinsaturas, onde se inclui o ómega 3). Estas gorduras são consideradas preventivas, pois contribuem para a prevenção das doenças cardiovasculares. São fornecidas pelo azeite, óleos vegetais, frutos oleaginosos (nozes, amêndoas, avelãs…), sementes (girassol, abóbora, linhaça, sésamo…) e pescado. Os alimentos ricos em gordura também são uma fonte de vitaminas específicas onde se incluem as vitaminas A, D, E e K.

“más” - as saturadas e as “trans” ou hidrogenadas. Estas gorduras elevam o colesterol LDL (“mau colesterol”), responsável por diversas doenças cardiovasculares. As gorduras saturadas podem ser encontradas maioritariamente nos alimentos de origem animal, como no leite e derivados, na carne de porco e vaca e nos seus derivados. No caso das gorduras hidrogenadas podem ser encontradas nos produtos industrializados tais como certas bolachas, gelados e produtos de charcutaria. A leitura atenta do rótulo é essencial.

TOME NOTA: A gordura em excesso (independentemente do tipo) por ser muito calórica, pode contribuir para o aumento de peso e obesidade. Controle o seu consumo.


Veja este vídeo da Becel que ajuda a perceber o que é o colesterol.


Festas de aniversário escolares - vamos torná-las mais saudáveis!

De certeza que já esteve numa festa de aniversário escolar dos amigos do seu filho, sobrinho, neto ou educando.

Sabia que numa única festa, as crianças podem consumir o equivalente às suas necessidades diárias em açúcar?

Reparou o que estava na mesa? Ui! Tantos doces, chocolates, gomas, refrigerantes... uma panóplia de alimentos repletos de açúcar e calorias! Estas festas deveriam chamar-se "A festa do açúcar e das calorias"!

O problema é que estas festas não são esporádicas... Quase todas as semanas temos algum menino ou menina que faz aniversário. E... lá vão eles comer tudo aquilo que não interessa!
A somar às "asneiras" que normalmente deixamos fazer em casa acaba por ser um exagero e nem damos por isso!

E se pudéssemos reduzir a quantidade de alimentos menos saudáveis dessas festas, estaria disposto a contribuir para uma comemoração mais saudável?

Descanse pois não se trata de servir só cenouras em vez de bolos, o fundamental é os pais darem o exemplo e explicar que também se pode desfrutar dos doces, desde que consumidos com moderação, e dando ao mesmo tempo alternativas mais saudáveis.

Então vamos a isso!

Tome nota de algumas dicas!

1. Em vez de servir a gelatina simples, adicione pequenos pedaços de fruta do mesmo sabor.
Já alguma vez experimentou fazer barquinhos de gelatina?

Tome nota: Corte várias laranjas ao meio, esprema o sumo e retire a polpa até obter uma casca limpa. Faça a gelatina e verta para estas cascas. Leve ao frio. Depois de prontas corte as cascas cheias de gelatina ao meio e espete um palito com uma “vela” feita de papel. Deliciosos e originais barquinhos à vela.

2. Faça gomas caseiras! 

Damos-lhe a receita: para um pacote de gelatina do seu sabor preferido, adicione 35g de gelatina em pó incolor e 200ml de água a ferver. Dissolva bem o preparado e coloque num tabuleiro para ir ao frio. Deve deixar uma altura do líquido de cerca de um dedo. Depois de fria corte em pequenos quadradinhos e está pronta a comer.

3. Utilize as formas de papel para bombons e coloque antes:

  • frutos oleaginosos, como as nozes, avelãs e amêndoas sem sal adicionado
  • sementes, como as de girassol e abóbora. Pode até torrá-las para que fiquem ainda mais estaladiças.
  • Frutos secos, como as passas, alperces ou ameixas.

Faça várias combinações e disponha na mesa de forma a criar “manchas” de cor.

4. Corte pequenos palitos de cenoura e pepino e sirva-os frescos. São um snack hiper saudável!

5. Sirva espetadas de fruta. 
Para alegrar a pequenada até pode ter uma fonte de chocolate. Mas limite o tempo de utilização para que não caiam no exagero. Fomente o consumo moderado do que pode ser menos saudável.

6. Faça gelados de fruta na hora! 

Tome nota: Misture com a varinha mágica, por exemplo, morangos congelados e iogurte líquido de morango; obtém um gelado cremoso e pronto a consumir. Sirva uma pequena bola a cada um.

7 . Disponibilize ovos de codorniz cozidos.

Lembre-se que está provado que o aumento do colesterol sanguíneo é mais influenciado pelo consumo de alimentos ricos em gorduras saturadas e hidrogenadas do que pela ingestão de alimentos ricos em colesterol.

8. As pizas também podem ser equilibradas! 

Faça pizas caseiras e use e abuse de vegetais e reduza a gordura e o sal que irá adicionar. Estas são as grandes vantagens de fazer pizas em casa. Além disso, se fizer também a base poderá utilizar farinha integral ou de mistura, terá assim um produto com muito mais fibra.

9. Nas sandes de queijo ou fiambre, não necessita de colocar manteiga e pode acrescentar sempre um legume ou hortaliça: alface, cenoura ralada, tomate, etc…

10. Opte por fazer batatas "fritas" caseiras com casca, pois têm mais fibra. 

Damos-lhe uma receita: dê uma pequena fervura a batatas inteiras e com pele. De seguida, corte-as aos gomos e disponha-as num tabuleiro. Polvilhe com algumas pedrinhas de sal e alecrim e regue-as com um ligeiro fio de azeite. Leve ao forno a tostar e deixe os pequenos deliciarem-se.

11. Para beber sirva sumos naturais, de preferência sem adição de açúcar, ou sumos 100%, que também não têm adição de açúcar e são 100% feitos com polpa de fruta. 

São alternativas mais saudáveis aos refrigerantes e néctares, em que na maioria dos casos têm adição de açúcar e, no primeiro caso, a percentagem de sumo é praticamente desprezível e no segundo caso pode rondar os 50% ou até menos, dependendo do tipo de fruto.

Estas são as nossas dicas, mas se quiser saber mais há um artigo excelente sobre esta temática no blog Nutrimento do Programa Nacional de Promoção da Alimentação Saudável. Dê uma espreitadela aqui.

Promova a saúde dos mais novos! 
Faça festas de aniversário saudáveis!

2 abril - Dia Internacional do Livro Infantil

Desde 1967 que no dia 2 de abril se comemora, em todo o mundo, o nascimento de Hans Christian Andersen, um escritor e poeta de histórias infantis.
Em sua homenagem passou a designar-se por  Dia Internacional do Livro Infantil.

Este dia tem como objetivo chamar a atenção para a importância da leitura e para o papel fundamental dos livros para a infância.

Os temas podem ser vários e nós também estamos a contribuir com o nosso livro infantil que aborda a obesidade.


Uma alimentação saudável não tem que ser cara


Não precisa de comprar alimentos caros para preparar refeições saudáveis!

Se analisar a Roda dos Alimentos pode reparar que estão lá alimentos simples e que consumimos no dia-a-dia. Não complique! Simplifique!


E lembre-se que:
  • Deve tomar o pequeno-almoço em casa e, caso seja possível, leve o almoço numa marmita.
  • Evite os alimentos muito processados e opte por produtos frescos ou congelados sempre que possível.
  • Consuma frutos e legumes da época, que para além de serem mais baratos, são mais ricos do ponto de vista nutricional.
  • A bebida de eleição deve ser a água, e pode mesmo beber a da torneira. Se pretender, pode aromatizar com ervas aromáticas, gotas de limão, paus de canela, etc... Fica com sabor, é mais saudável e não precisa de gastar dinheiro.
Estas são apenas 4 regras básicas... Comece por estas!

Sal: um dos quatro vilões

Sal = Cloreto de sódio

Tanto o sódio como o cloreto são minerais essenciais ao normal funcionamento do organismo.

No entanto, o seu consumo excessivo está relacionado com o aparecimento/agravamento de diferentes doenças crónicas como a hipertensão arterial, doenças cardiovasculares e de alguns tipos de cancro, como o do estômago.

Por isso, reduza o seu consumo.

A Organização Mundial de Saúde recomenda um máximo de 5 gramas diários de sal, ou seja, cerca uma colher de chá de sal por dia!

A pitada certeira é mais do que suficiente! Não exagere! Lembre-se que existem diversos alimentos que naturalmente já têm sal!

Partilhamos um pequeno vídeo (em brasileiro) que ajuda a perceber o que é o sódio e o sal, bem como mostra vários artigos que têm este ingrediente.

Vídeo de São Paulo Saudável


Sabia que:

  • mais de 42% dos portugueses sofre de hipertensão?
  • o consumo de sal médio dos portugueses é de 10,7 gramas por dia?
  • consumir metade do sal evitaria 6.000 mortes por ano em Portugal?

Ano Internacional das Leguminosas


Estamos em pleno ano internacional das leguminosas!

A FAO (Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura) declarou 2016 como o Ano Internacional das Leguminosas sob o tema: “Sementes Nutritivas para um Futuro Sustentável”.

As leguminosas, ou seja, o feijão, grão, favas, lentilhas, e até os tremoços, são uma excelente alternativa à carne, desde que combinadas com outros cereais ou derivados (massa, arroz, pão...).

São ainda ricas em fibra e hidratos de carbono de absorção lenta, o que tem um impacto positivo no controlo da saciedade, e fornecem ainda cálcio, ferro, zinco, ácido fólico e vitaminas do complexo B.

Desde que foi criada a nova Roda dos Alimentos existe uma fatia só para este grupo de alimentos, já que são muito importantes e devem fazer parte da nossa alimentação diária.

Vamos lá aumentar o consumo deste alimento tão saudável!

Partilhamos ainda um vídeo de 2 minutos da FAO sobre as leguminosas. É pena estar em inglês...





Descodifique os rótulos, pela sua saúde e dos seus filhos!

O consumo exagerado de gorduras, sobretudo saturadas, de açúcar e de sal, está associado ao surgimento precoce de várias doenças crónicas, como a obesidade, hipertensão, doenças cardiovasculares (como o colesterol elevado) e a diabetes. Convém, por isso, limitar o seu consumo.

Então, mas como posso interpretar um rótulo?

É certo que os rótulos dos alimentos podem ser confusos... mas, com este descodificador de rótulos (da Direcção Geral de Saúde) não vai ter dificuldade em perceber quando um alimento contém demasiada gordura, açúcar ou sal.

Inline image 1
Descodificador de rótulos da Direcção Geral de Saúde


Como posso utilizar este cartão?

Apenas 2 passos:

1º - Verifique o valor por 100g de, por exemplo, gordura. Este valor estará na primeira coluna de valores da tabela nutricional.  Imagine que estava escrito 12g.

2º Verifique no cartão qual a cor que lhe seria atribuída. Neste exemplo seria a cor amarela, ou seja, tem uma concentração média deste nutriente. Teríamos de ter atenção!

Simples, não é?
Agora vá até à despensa e verifique os seus alimentos! Veja se anda a fazer as melhores opções alimentares!

Se tiver dúvidas contacte-nos!

O que significa LIGHT?



Um produto light teve uma redução de pelo menos 30% em pelo menos um dos seus nutrientes (no caso do sal será só de 25%) face a um produto semelhante, normalmente da mesma marca.



A redução pode ser em gorduras, açúcar e até em proteínas. Tem de ler o rótulo para saber em que é que o produto é light.

MAS ATENÇÃO!!! Não significa que não tem calorias, nem que será magro!
Veja por exemplo os iogurtes gregos light que ficam muito aquém de um iogurte magro, mas serão sempre uma melhor alternativa a um iogurte grego normal.

Light é uma alegação nutricional legislada pela Rectificação ao Regulamento (CE) n. 1924/2006 do Parlamento Europeu e do Conselho, de 20 de Dezembro de 2006.

Ler os rótulos, principalmente a informação nutricional, é fundamental para perceber o que está a comprar!!!

Açúcar: um dos quatro vilões

Partilhamos um pequeno vídeo desenvolvido por estudantes universitários no âmbito da U.C. de Projeto de Comunicação da Licenciatura em Ciências da Nutrição Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto.

Sendo que fazemos nossas as palavras do Professor Doutor Pedro Graça que escreveu na sua página do Linkedin "A tecnologia ao serviço de uma nova geração que nos surpreende sempre e em quem eu acredito."

Açúcar: O segredo está no rótulo!

Vale a pena ver (tem menos de 3 minutos)!!!


4º passo: Incentive a prática diária de exercício físico!

Faça exercício físico com os seus filhos! Seja o seu personal trainer particular!


Leve-os a dar uma caminhada no final do dia!

Nos fins de semana aproveitem para jogar um jogo de futebol ou andar de bicicleta.

É bom para si e para eles!

O prato ideal!

Faça do prato ideal o seu prato!

Não precisa de andar a pesar a comida, basta que se inspire no prato ideal para que não abuse das quantidades que vai consumir. Ah, mas não vale "empilhar" a comida!

Quando servir o seu prato e dos seus filhos ou educandos nas principais refeições deve ter como referência a seguinte imagem, sendo que se a cumprir, provavelmente, não estará a abusar.

Dê o exemplo e cumpra o prato ideal!


Prato Ideal

O que nos ensina a Roda dos Alimentos?

A Roda dos Alimentos dá-nos três diretrizes para que a nossa alimentação seja saudável: a mesma deve ser completa, equilibrada e variada.

Mas como?


COMPLETA:


Devemos comer de todos os grupos da Roda dos Alimentos. 

Sim! TODOS! 
Já reparou que existe um grupo para as leguminosas (feijão, grão, favas, ervilhas, lentilhas...)? 
Já pensou quantas vezes na última semana é que comeu algum destes alimentos? 

Pois é! Planeie as suas refeições e comece a comer mais vezes deste grupo de alimentos.



EQUILIBRADA:

Devemos comer mais dos grupos maiores e menos dos grupos menores.

Hummmm... 
Lá porque sabe que as proteínas da carne têm um papel construtor e que são fundamentais para construção dos músculos, não precisa de dar um mega bife ao seu filho para ele crescer.

Já reparou no tamanho do grupo da carne, peixe e ovos? 
É dos mais pequenos. 
É importante e temos de comer, mas a quantidade é que não precisa ser muita! 
Uma porção do tamanho da palma da mão é mais do que suficiente!



VARIADA:

Devemos comer vários alimentos do mesmo grupo. Devemos variar.

Nenhum alimento por si só tem todas as propriedades de que o organismo necessita, por isso é fundamental variar. 
Varie o tipo de fruta, o tipo de legumes, até mesmo o tipo de carne e peixe!



Alguns alimentos, por serem ricos em açúcar, gordura e/ou sal, não constam da Roda dos Alimentos, pelo que não devem ser ingeridos diariamente:



3º passo: Estabeleça horários para as refeições

Aconselham-se intervalos de 2 a 3 horas entre as refeições. 


Não permita que as crianças estejam sempre a petiscar qualquer coisa. É mesmo fundamental que percebam que existem horas para a cada refeição.

Não dê alimentos muito energéticos (como rebuçados, bolachas, chocolates, salgados...) antes das refeições, pois fará com que a criança não tenha apetite para os alimentos mais nutritivos.

Não caia em tentação de lhes dar um "docinho" se têm fome, quando muito uma peça de fruta ou legume (pepino, cenoura...). Se têm fome, poderá antecipar o meio da manhã ou o lanche.

Além disso, faça da hora de comer um momento de partilha familiar. Desligue a televisão e coma sem pressa, desfrutando das histórias diárias das traquinices dos seus pequenos.

2º passo: Planifique as refeições

Faça planos semanais de refeições saudáveis! 

Organize a sua agenda para que na hora de preparar a refeição tenha todos os ingredientes, e a confecção seja rápida e sem preocupações.

Alterne a carne com o peixe e com os ovos.
E para acompanhamentos seja o mais criativo possível: arroz, massa, batata, quinoa, feijão, grão, lentilhas, ervilhas... são infindáveis as alternativas!




Não se esqueça de garantir sempre que metade do prato seja de legumes cozinhados ou de salada fresca.




Não esqueça as refeições intercalares, como os lanches, e a comida que os seus pequenos levam na lancheira escolar.

Para além da fruta que lhes envia para a escola, fica a sugestão de alternar com alguns legumes como mini tomates, cenoura crua cortada em palitos e pepinos em rodelas.

Experimente também oferecer-lhes frutos oleaginosos sem adição de sal ou açúcar, como as nozes, amêndoas e avelãs. E que tal experimentar sementes de girassol ou de abóbora
Até para si são excelentes snacks!
Estes frutos secos e sementes são ricos em gorduras insaturadas (“boas”) que ajudam a diminuir o colesterol sanguíneo.

Desafio: Faz a tua própria ilustração da história

O desafio foi lançado aos alunos do Colégio Quinta dos Girassóis e já temos o resultado dos trabalhos realizados!

As nossas personagens, a Princesa e o Dragão, foram retratados em inúmeras situações!

Os alunos estão de parabéns!

Muito obrigada pela participação!



Apresentação no Colégio Quinta dos Girassóis

Pois é, dia 12 de janeiro 2016 fizemos a nossa primeira apresentação pública do livro! 

Fomos até ao Colégio Quinta dos Girassóis apresentar aos alunos do 1º, 2º, 3º e 4º anos.

Foi uma experiência gratificante pois as crianças estiveram muito atentas e acreditamos que tenham aprendido ou relembrado algumas dicas para uma alimentação mais saudável!

Começámos por fazer a apresentação do livro e aproveitámos para reforçar algumas mensagens importantes para que as crianças adotem um estilo de vida mais saudável.








Depois de esclarecermos algumas dúvidas, estivemos a assinar algumas dedicatórias aos meninos que pretenderam adquirir o livro.





Por fim, algumas Professoras trabalharam o tema em sala de aula.






Uma tarde diferente, educativa e muito animada!!!

1º passo: Organize a despensa e o frigorífico

Uma das formas de cairmos em tentação e comermos mal é ter em casa o "que não devemos"!
Assim, dê uma arrumação geral à sua despensa e frigorífico.

Evite ter em casa, e ao alcance dos seus filhos, refrigerantes, salgadinhos, bolachas, chocolates, etc.

Opte por ter iogurtes de aromas, gelatinas, fruta, vegetais, frutos oleaginosos (nozes, amêndoas, avelãs), fruta seca (ameixas, passas, alperces), águas aromatizadas caseiras, etc...


Tenha no congelador legumes (brócolos, cenouras, curgete, couve-flor, feijão-verde...), para garantir sempre no prato uma porção de legumes quando não tem tempo de ir comprar os hortícolas frescos. Pode comprá-los já congelados ou frescos e congelar de seguida.

Faça um pouco mais de comida e congele em diferentes porções para evitar comprar refeições pré-preparadas, que normalmente têm muito sal e gordura.

Congele também a sopa de legumes em várias porções.

Assim, sempre que estiver com o tempo contado terá uma refeição em poucos minutos!

Dê o exemplo!

Portugal está entre os países com maior número de crianças com excesso de peso e obesidade: mais de 30% dos menores com idades entre os 7 e os 11 anos sofre deste mal.

Não podemos ficar de braços cruzados! É necessário agir, quer na prevenção como no tratamento desta doença. Sim, a obesidade é uma doença!



A educação alimentar das crianças e jovens deve começar cedo, em casa, onde o papel da família é inquestionável.

Não é justo esperar que os filhos comam ou tenham comportamentos saudáveis se quem lhes é próximo também não os tem.


Dê o exemplo, sempre!


As crianças copiam os modelos alimentares dos pais e de pessoas que admiram. Se a família tem bons hábitos, a criança acaba por adquiri-los naturalmente, com o passar do tempo.


Nos próximos posts daremos algumas dicas para ajudá-lo a tornar a alimentação dos petizes mais saudável!