O prato ideal!

Faça do prato ideal o seu prato!

Não precisa de andar a pesar a comida, basta que se inspire no prato ideal para que não abuse das quantidades que vai consumir. Ah, mas não vale "empilhar" a comida!

Quando servir o seu prato e dos seus filhos ou educandos nas principais refeições deve ter como referência a seguinte imagem, sendo que se a cumprir, provavelmente, não estará a abusar.

Dê o exemplo e cumpra o prato ideal!


Prato Ideal

O que nos ensina a Roda dos Alimentos?

A Roda dos Alimentos dá-nos três diretrizes para que a nossa alimentação seja saudável: a mesma deve ser completa, equilibrada e variada.

Mas como?


COMPLETA:


Devemos comer de todos os grupos da Roda dos Alimentos. 

Sim! TODOS! 
Já reparou que existe um grupo para as leguminosas (feijão, grão, favas, ervilhas, lentilhas...)? 
Já pensou quantas vezes na última semana é que comeu algum destes alimentos? 

Pois é! Planeie as suas refeições e comece a comer mais vezes deste grupo de alimentos.



EQUILIBRADA:

Devemos comer mais dos grupos maiores e menos dos grupos menores.

Hummmm... 
Lá porque sabe que as proteínas da carne têm um papel construtor e que são fundamentais para construção dos músculos, não precisa de dar um mega bife ao seu filho para ele crescer.

Já reparou no tamanho do grupo da carne, peixe e ovos? 
É dos mais pequenos. 
É importante e temos de comer, mas a quantidade é que não precisa ser muita! 
Uma porção do tamanho da palma da mão é mais do que suficiente!



VARIADA:

Devemos comer vários alimentos do mesmo grupo. Devemos variar.

Nenhum alimento por si só tem todas as propriedades de que o organismo necessita, por isso é fundamental variar. 
Varie o tipo de fruta, o tipo de legumes, até mesmo o tipo de carne e peixe!



Alguns alimentos, por serem ricos em açúcar, gordura e/ou sal, não constam da Roda dos Alimentos, pelo que não devem ser ingeridos diariamente:



3º passo: Estabeleça horários para as refeições

Aconselham-se intervalos de 2 a 3 horas entre as refeições. 


Não permita que as crianças estejam sempre a petiscar qualquer coisa. É mesmo fundamental que percebam que existem horas para a cada refeição.

Não dê alimentos muito energéticos (como rebuçados, bolachas, chocolates, salgados...) antes das refeições, pois fará com que a criança não tenha apetite para os alimentos mais nutritivos.

Não caia em tentação de lhes dar um "docinho" se têm fome, quando muito uma peça de fruta ou legume (pepino, cenoura...). Se têm fome, poderá antecipar o meio da manhã ou o lanche.

Além disso, faça da hora de comer um momento de partilha familiar. Desligue a televisão e coma sem pressa, desfrutando das histórias diárias das traquinices dos seus pequenos.

2º passo: Planifique as refeições

Faça planos semanais de refeições saudáveis! 

Organize a sua agenda para que na hora de preparar a refeição tenha todos os ingredientes, e a confecção seja rápida e sem preocupações.

Alterne a carne com o peixe e com os ovos.
E para acompanhamentos seja o mais criativo possível: arroz, massa, batata, quinoa, feijão, grão, lentilhas, ervilhas... são infindáveis as alternativas!




Não se esqueça de garantir sempre que metade do prato seja de legumes cozinhados ou de salada fresca.




Não esqueça as refeições intercalares, como os lanches, e a comida que os seus pequenos levam na lancheira escolar.

Para além da fruta que lhes envia para a escola, fica a sugestão de alternar com alguns legumes como mini tomates, cenoura crua cortada em palitos e pepinos em rodelas.

Experimente também oferecer-lhes frutos oleaginosos sem adição de sal ou açúcar, como as nozes, amêndoas e avelãs. E que tal experimentar sementes de girassol ou de abóbora
Até para si são excelentes snacks!
Estes frutos secos e sementes são ricos em gorduras insaturadas (“boas”) que ajudam a diminuir o colesterol sanguíneo.

Desafio: Faz a tua própria ilustração da história

O desafio foi lançado aos alunos do Colégio Quinta dos Girassóis e já temos o resultado dos trabalhos realizados!

As nossas personagens, a Princesa e o Dragão, foram retratados em inúmeras situações!

Os alunos estão de parabéns!

Muito obrigada pela participação!



Apresentação no Colégio Quinta dos Girassóis

Pois é, dia 12 de janeiro 2016 fizemos a nossa primeira apresentação pública do livro! 

Fomos até ao Colégio Quinta dos Girassóis apresentar aos alunos do 1º, 2º, 3º e 4º anos.

Foi uma experiência gratificante pois as crianças estiveram muito atentas e acreditamos que tenham aprendido ou relembrado algumas dicas para uma alimentação mais saudável!

Começámos por fazer a apresentação do livro e aproveitámos para reforçar algumas mensagens importantes para que as crianças adotem um estilo de vida mais saudável.








Depois de esclarecermos algumas dúvidas, estivemos a assinar algumas dedicatórias aos meninos que pretenderam adquirir o livro.





Por fim, algumas Professoras trabalharam o tema em sala de aula.






Uma tarde diferente, educativa e muito animada!!!

1º passo: Organize a despensa e o frigorífico

Uma das formas de cairmos em tentação e comermos mal é ter em casa o "que não devemos"!
Assim, dê uma arrumação geral à sua despensa e frigorífico.

Evite ter em casa, e ao alcance dos seus filhos, refrigerantes, salgadinhos, bolachas, chocolates, etc.

Opte por ter iogurtes de aromas, gelatinas, fruta, vegetais, frutos oleaginosos (nozes, amêndoas, avelãs), fruta seca (ameixas, passas, alperces), águas aromatizadas caseiras, etc...


Tenha no congelador legumes (brócolos, cenouras, curgete, couve-flor, feijão-verde...), para garantir sempre no prato uma porção de legumes quando não tem tempo de ir comprar os hortícolas frescos. Pode comprá-los já congelados ou frescos e congelar de seguida.

Faça um pouco mais de comida e congele em diferentes porções para evitar comprar refeições pré-preparadas, que normalmente têm muito sal e gordura.

Congele também a sopa de legumes em várias porções.

Assim, sempre que estiver com o tempo contado terá uma refeição em poucos minutos!

Dê o exemplo!

Portugal está entre os países com maior número de crianças com excesso de peso e obesidade: mais de 30% dos menores com idades entre os 7 e os 11 anos sofre deste mal.

Não podemos ficar de braços cruzados! É necessário agir, quer na prevenção como no tratamento desta doença. Sim, a obesidade é uma doença!



A educação alimentar das crianças e jovens deve começar cedo, em casa, onde o papel da família é inquestionável.

Não é justo esperar que os filhos comam ou tenham comportamentos saudáveis se quem lhes é próximo também não os tem.


Dê o exemplo, sempre!


As crianças copiam os modelos alimentares dos pais e de pessoas que admiram. Se a família tem bons hábitos, a criança acaba por adquiri-los naturalmente, com o passar do tempo.


Nos próximos posts daremos algumas dicas para ajudá-lo a tornar a alimentação dos petizes mais saudável!