Uma alimentação saudável não tem que ser cara


Não precisa de comprar alimentos caros para preparar refeições saudáveis!

Se analisar a Roda dos Alimentos pode reparar que estão lá alimentos simples e que consumimos no dia-a-dia. Não complique! Simplifique!


E lembre-se que:
  • Deve tomar o pequeno-almoço em casa e, caso seja possível, leve o almoço numa marmita.
  • Evite os alimentos muito processados e opte por produtos frescos ou congelados sempre que possível.
  • Consuma frutos e legumes da época, que para além de serem mais baratos, são mais ricos do ponto de vista nutricional.
  • A bebida de eleição deve ser a água, e pode mesmo beber a da torneira. Se pretender, pode aromatizar com ervas aromáticas, gotas de limão, paus de canela, etc... Fica com sabor, é mais saudável e não precisa de gastar dinheiro.
Estas são apenas 4 regras básicas... Comece por estas!

Sal: um dos quatro vilões

Sal = Cloreto de sódio

Tanto o sódio como o cloreto são minerais essenciais ao normal funcionamento do organismo.

No entanto, o seu consumo excessivo está relacionado com o aparecimento/agravamento de diferentes doenças crónicas como a hipertensão arterial, doenças cardiovasculares e de alguns tipos de cancro, como o do estômago.

Por isso, reduza o seu consumo.

A Organização Mundial de Saúde recomenda um máximo de 5 gramas diários de sal, ou seja, cerca uma colher de chá de sal por dia!

A pitada certeira é mais do que suficiente! Não exagere! Lembre-se que existem diversos alimentos que naturalmente já têm sal!

Partilhamos um pequeno vídeo (em brasileiro) que ajuda a perceber o que é o sódio e o sal, bem como mostra vários artigos que têm este ingrediente.

Vídeo de São Paulo Saudável


Sabia que:

  • mais de 42% dos portugueses sofre de hipertensão?
  • o consumo de sal médio dos portugueses é de 10,7 gramas por dia?
  • consumir metade do sal evitaria 6.000 mortes por ano em Portugal?