Bullying e obesidade - uma explosão em tempo real

"À semelhança das princesas de outras histórias, esta princesa vivia presa na torre mais alta do
castelo. Enfim, literalmente presa. Na verdade, ela era tão bela, quanto gorda.
Gorda não, que ninguém lhe chamava isso. Provavelmente porque não queriam magoá-la.
Sim, que as palavras às vezes magoam as pessoas. Mas dizia-se pelo castelo que ela era
fortezinha, redondinha, cheiinha, bochechudinha e outras coisas terminadas em ‘inha’
que, de uma forma mais educada, queriam dizer que ela tinha peso a mais."

in "História de uma princesa obesa e de um dragão que cuspia bolas de sabão"



Sabia que as crianças e adolescentes com excesso de peso e obesidade apresentam 60% mais hipóteses de sofrerem de bullying na escola? 

O bullying existe nas mais diversas idades e nos mais diferentes contextos. Infelizmente, as crianças com excesso de peso e obesidade não estão livres deste acontecimento e com frequência sofrem na pele este tipo de violência. Sim! É um tipo de violência!

São diversos os estudos que comprovam que a obesidade não tem só impacto na saúde, já que tem também a nível de interações sociais e bem estar emocional, nomeadamente na autoestima. Estas consequências podem ser quer a curto como a longo prazo, podendo, por isso, influenciar o futuro destas crianças. 

Atualmente sabe-se que uma criança com obesidade terá consequências psicológicas e sociais indesejáveis, já que experimentará relações menos positivas com os seus pares de peso normal, ou seja, com as crianças da mesma idade. 

Não deixe que isso aconteça! 

Por um lado, promova um estilo de vida saudável aos seus mais-que-tudo e por outro, esteja atento caso surjam alterações de comportamento (incluindo as compulsões alimentares) e de humor. 

Lembre-se que os jovens nem sempre têm capacidade para resolver o problema sozinhos nem coragem para procurar ajuda, quer seja dos pais, amigos ou dos professores.

Sem comentários:

Enviar um comentário