Gordura Saturada: um dos quatro vilões

Como vimos num post anterior, as gorduras não são todas iguais!

De uma forma simplista, podemos dizer que as gorduras saturadas são as "gorduras más", pois danificam os vasos sanguíneos e são responsáveis pelo aumento dos valores de colesterol LDL (“mau colesterol”). São tipicamente sólidas à temperatura ambiente.

Substituir os alimentos que são ricos em gordura saturada por opções mais saudáveis, como as gorduras insaturadas, pode, por um lado, baixar os níveis de colesterol LDL e, por outro, aumentar os níveis de colesterol HDL ("bom colesterol"). Ou seja, conseguimos ter um melhor perfil lipídico no sangue.

Podemos encontrar este tipo de gordura em:

  • Óleo de coco
  • Manteiga
  • Queijos
  • Leite, natas e iogurtes, sendo que quanto mais gordos... pior.
  • Carnes
  • Enchidos

Tome nota destas dicas para reduzir o consumo de gordura saturada:

  • Compare os rótulos e escolha produtos com um máximo de 5g de gordura saturada por 100g. Utilize o descodificador de rótulos para saber se está a fazer uma boa compra.
  • No talho, peça os cortes mais magros dos animais.
  • Escolha produtos lácteos com baixo teor de gordura.
  • Grelhe, asse, escalfe ou coza os alimentos a vapor, em vez de fritar.
  • Meça o óleo com uma colher ou use um spray, ao invés de despejá-lo da garrafa/galheteiro.
  • Apare a gordura visível antes de cozinhar.
  • Coloque mais legumes ou leguminosas (como o feijão, grão, favas, lentilhas, etc) em vez de mais carne.


Tratar e prevenir a obesidade - todos devem ajudar!

"A nutricionista do reino foi chamada no mesmo dia e, após cuidada observação, foi perentória no diagnóstico: tratava-se claramente de uma obesidade e era preciso intervir de imediato. Todos deviam colaborar no tratamento da princesa."

in "História de uma princesa obesa e de um dragão que cuspia bolas de sabão"





Desengane-se se acha que a obesidade não é uma doença! É, e é uma doença grave!


São vários os factores que estão na origem do seu desenvolvimento, entre eles os hereditários, hormonais, socioeconómicos, culturais, educativos, etc... 
Na maioria dos casos deve-se sobretudo ao facto de a ingestão de calorias ser superior ao gasto energético. Esta situação leva ao depósito do excesso sob a forma de gordura corporal.

A obesidade para além de ser um problema de natureza estética e psicológica, acarreta um grande risco para a saúde.
Muitos obesos apresentam limitações de movimento, têm propensão para infeções na pele (nas dobras de gordura) e estão em risco de adquirirem uma série de doenças graves como:
Hipertensão arterial;
Doenças cardiovasculares;
Diabetes tipo II;
Cancro;
Osteoartrite;
Problemas respiratórios;
entre outras.

Estas complicações não são só nos adultos, as crianças sofrem de igual forma. 

Assim, e como doença que é, a obesidade deve ser tratada. 

O importante é que todos à volta contribuam positivamente: os profissionais de saúde devem prescrever o tratamento correto, os pais devem dar o exemplo, os amigos devem incentivar.